Relato de viagem: Buenos Aires

Dia 29 de dezembro de 2010 embarquei à caminho da nossa hermanita Argentina, pra curtir o Reveillon e mais alguns dias por lá com minha irmã.

Confesso que fiquei um pouco desapontada… Como bem me falou a minha irmã, quem vai pra Argentina depois de ter ido à Europa acaba não vendo muita graça na cidade, achando tudo muito simplinho… kkk

Fazendo uma recapitulação do que foi a viagem, segue o nosso dia a dia na cidade porteña:

29/12 – chegamos em BsAs às 23h… Chegando no hotel, seguimos com mais 4 cearenses que vieram no mesmo voo que o nosso e ficaram no mesmo hotel para o Café Plaza… Todos mortos de fome, fomos comer a tão famosa Empanada, num café na Av. 9 de julio.

30/12 – Tomamos café da manhã cedo e fomos até uma casa de câmbio para trocar os pesos argetinos por notas menores, já que todos nos alertaram sobre as muitas notas falsas que são passadas nos trocos aos turistas desavisados. À tarde, fomos fazer o city tour pela cidade. Fomos ao bairro La Boca, onde ficam o estádio do Boca Juniores e o Caminito. De lá, fomos para a Catedral, que fica na Plaza de Mayo, e vimos tb a Casa Rosada. À noite, fomos jantar em Puerto Madero, no restaurante Cabaña Las Lilas, que tem fila de espera de quase 2h e preços altíssimos (foi a única loucura financeira que cometi a viagem inteira)…

31/12 – Pela manhã fomos conhecer alguns outlets na Av. Santa Fé e na Av. Córdoba, mas os preços não eram lá muito animadores. Como era dia da festa de reveillon, voltamos para o hotel cedo para descansarmos, pois a noite prometia no Señor Tango. O carro da agência de turismo no buscou à 21h, para que antes da festa em si pudéssemos jantar. O show apresentado foi o “Circus”, com acrobacias, palhaços, animais e finalizava com um clássico show de tango. Após a apresentação, o palco foi liberado para o público, virando uma pista de dança, de onde só saímos as 5h da manhã.

No dia 01/01, com toda a coragem do mundo (#NOT), acordamos razoavelmente cedo e fomos dar uma volta pela cidade. Fomos à Flor Metálica, à Faculdad de Derecho e ao Cemitério da Recoleta (onde está enterrada Evita Perón). Na volta para o hotel, passamos pela Av. 9 de Julio, onde estava acontecendo a largada da etapa BsAs-Chile do rally Paris-Dakar. Ainda vimos vários caminhões em comboio saindo de lá fazendo festa com quem estava lá assistindo tudo. À noite, fomos jantar na Recoleta e demos uma volta pelo Hard Rock Café.

02/01 – Fomos à feira de San Telmo, conhecida por serem vendidos artigos de antiquário. Eu, sinceramente, achei uma feira de quinquilharia, com coisas feias e em péssimo estado de conservação. Não achei nada de proveitoso para comprar e ainda sofri com o calor que fazia na cidade. Fomos novamente ao Puerto Madero para jantar, dessa vez comemos num restaurante que era buffet, daí ficava mais fácil adequar bolso e paladar do que no dia da Cabaña Las Lilas.

03/01 – O último dia na cidade foi bem proveitoso. Fizemos um city a pé por várias partes da cidade, para conhecermos o Jardim Japonês, o Jardim Botânico, o Malba Museu, o Café Tortoni, novamente voltamos à Catedral e à Casa Rosada para mais fotos. De despedida dos amigos que fizemos, fomos jantar no Acabar, em Palermo Hollywood. Lá, o ambiente é bem descontraído, que oferece inclusive jogos de tabuleiro diversos para os clientes jogarem enquanto estiverem lá. Em Palermo Hollywood, à caminho do Acabar, a gente passou por vários barzinhos descolados e diferentes, mas como queríamos ir para o Acabar mesmo, acabamos nem ficando nos outros. Para quem quiser saber mais detalhes, taí um link que achei sobre ele: http://www.destemperados.com.br/2010/11/17/acabar-para-comecar-a-noite-e-uma-crianca-em-buenos-aires/

04/01 – A volta para o Brasil. Acordamos cedo para que desse tempo tomar café, fecharmos as malas, fazermos check-in, almoçarmos tranquilas pois nosso voo era às 13h. Chegamos em casa quase meia-noite (fizemos uma parada em São Paulo que nos atrasou muito).

No final das contas, a viagem foi ótima. Conhecemos várias pessoas de Fortaleza, com alguns inclusive mantemos contato até hoje. As únicas insatisfações são:

* o povo argentino mal-educado, que não sabe atender aos clientes,

* os taxis antigos e muitos sem ar condicionado,

* a cidade muito suja,

* tempo corrido da viagem, pois acabamos não conhecendo o Cassino,

* não conhecer o Teatro Colón, que estava fechado para reformas.


Anúncios

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s