Paris, sempre Paris

Depois de muitas horas de viagem e conexão em Amsterdam, chegamos em Paris no começo da tarde de domingo, 10 de junho de 2018. Era aniversário da minha mãe e essa viagem, a realização do sonho dela. Depois de pegarmos todas as malas, chamamos o UBER e seguimos direto para o apartamento que alugamos pelo Airbnb.

Do aeroporto até o apê, foi um pouco mais de 1h de deslocamento. Nos hospedamos na Île Saint-Louis, próximo à Pont Louis Philippe e por trás da Catedral de Notredame. Localização maravilhosa. Por perto, brasseries, patisseries, mercadinhos, estação do Metrô.

Chegamos no apê e demoramos um pouco para entrar nele. Não conseguimos falar com a proprietária (o chip internacional que comprei era apenas para internet e a dona do apê não tinha WhatsApp), mas depois de um tempo minha irmã teve a brilhante ideia de olhar debaixo do capacho e, voilá, logo estávamos já desarrumando nossas malas.

Continue Lendo “Paris, sempre Paris”

Anúncios

Je t’aime, Paris…

…Versailles et Chamonix!!!

Posso dizer que sou uma privilegiada por ter tido oportunidades de ir à França duas vezes; a primeira em 2008 e a segunda em 2010.

Na primeira viagem (2008), ou durante boa parte dela, fui sozinha em excursão pela CVC. Era 20 de setembro e o tempo na França estava gostoso, a ponto de poder sair na rua usando saia apenas com uma meia grossa por baixo. Fiquei hospedada no Novotel Charenton, que apesar de distante, tinha uma estação de metrô bem na esquina, então ficava muito fácil para andar pela cidade sozinha. No primeiro dia fui ao Arco do Triunfo, andei por toda a Champs Elyseé até o Obelisco e depois segui para o Louvre. Deu para ver a Torre Eiffel de longe. Dia 21 a excursão começou. Fomos a Versailles pela manhã e a tarde fizemos city tour por Paris (Obelisco, Champs Elyseé, Torre Eiffel, Les Invalides, Arco do Triunfo, Prefeitura). À noite fomos à Sacre Cour e jantamos em Montmattre. No dia seguinte (22), fizemos um passeio a pé pelo Cartier Latin, passando por Sorbonne e Notre Dame. Depois fomos passear de Bateaux Mouches pelo rio Sena. Na volta, a excursão nos deixou no Museu do Louvre e aproveitei para conhecê-lo. De lá, fui subir até o andar mais alto da Torre Eiffel. Muito linda a visão de toda Paris (e muito frio também, o vento gelado corre solto). Não sai a noite pois tinha que arrumar a mala para viajar com a excursão no dia seguinte (fomos para a Bélgica e para a Holanda, mas eu conto em outros posts individuais). Na volta da excursão (dia 25 à noite), a Europamundo (que é a empresa dona dos pacotes que a CVC vende) me presenteou com a hospedagem no Novotel Tour Eiffel, de 4 estrelas, chiquerérrimo na rua da Torre. O dia 26 foi dedicado aos museus. Visitei o D’Orsay, o Grevin e o Pompidou. No dia seguinte (27) acordei cedo para andar pela cidade, indo à Torre novamente e depois caminhar pelas margens do rio Sena. Dei saída no hotel (era para eu voltar nesse dia para o Brasil), mas fui para o Holiday Inn Saint Germain, pois minha irmã (que estava vindo da Itália) ia se hospedar lá e eu fiquei mais uns dias para encontrá-la. Não gostei do hotel, achei mal cuidado e mofado (nem chegava aos pés do meu 4****). Enquanto esperava por ela, fui ao Jardim de Luxemburgo, aproveitar o dia. À noite, fomos jantar na Champs Elyseé. No dia 28, enquanto minha irmã ia com a excursão dela para Versailles, fui novamente para o Museu do Louvre (como ele é muito grande, o ideal é tirar um dia para conhecer para cada uma das alas dele). Voltei para o hotel e reservei a Eurodisney para o dia seguinte. À tarde, fui com ela no city tour. Enquanto minha irmã ficou na Torre para subi-la, voltei com o restante da excursão para o hotel, pois a subida é muito demorada e eu já estava ficando cansada da viagem. Dia 29 era para ter sido para realizar meu sonho, pois iríamos à Eurodisney. Acontece que, quando chegamos na agência, eles nos falaram que o Museu do Louvre (que era programação dela do dia seguinte) iria estar fechado, então resolvemos trocar o parque pelo passeio guiado pelo Louvre (minha terceira vez, e primeira dela) e pelo Moulin Rouge à noite. Meu último dia em Paris (30) foi dedicado às compras. Fomos para a Galeria Lafayette comprar presentes para minha família. Chegamos no hotel as 17h e fui descansar, pois meu voo para casa sairia às 21h.
Total em Paris: 8 dias.

Em 2010, fui com minhas duas irmãs comemorar meu aniversário na Europa. Era a 2a vez minha e da minha irmã mais velha em Paris e a 1a vez que minha irmã do meio viajava para a Europa. Chegamos em Paris no dia 6 de março. Depois de alguns micos por não sabermos falar francês, deixamos nossas malas no quarto e fomos para a Champs Elyseé. Como já estava muito tarde, quase tudo já estava fechado, então voltamos para o Novotel Bagnolet e jantamos no restaurante do hotel. Dia 7, também depois de mais alguns micos, foi dedicado ao Museu do Louvre (mas eu já gosto de lá, hein!) e fomos à noite, novamente, para a Champs Elyseé. Comemorando meu aniversário (dia 8), fizemos um city tour (minha irmã, por causa do frio excessivo da época, não quis subir na Torre Eiffel) e de lá fomos para a Galeria Lafayette. À noite fomos à Montmatre, visitamos a Igreja Sacre Cour, jantamos e depois fomos festejar meus 27 anos no Moulin Rouge (Dance, dance, Paris, dance!!). Na manhã do dia seguinte (09) fomos à Versailles e à tarde o destino foi Notre Dame (na volta de lá, fomos assaltadas na estação de trem. Levaram algumas lembrancinhas que minha irmã tinha compra em Versailles, a carteira de identidade dela e o cartão VTM. As minhas coisas eu consegui recuperar, pois fui correndo atrás das duas meninas que nos furtaram e peguei tudo de volta – câmera, carteira e lembrancinhas minhas). Com esse problema, não saímos à noite. Ficamos resolvendo com a Visa a transferência do dinheiro que estava no cartão da minha irmã para o da minha outra irmã, já que no dia seguinte a nossa excursão iria sair. Dia 10 saímos de Paris em direção à Itália. No caminho, ficamos no período da tarde numa cidade supercharmosa chamada Chamonix, localizada ao sul do país, entre a França, a Suiça e Itália e aos pés do Montblanc. Por essa localização privilegiada, Chamonix é uma estação de esqui muito procurada no inverno. Pela primeira vez na vida vi neve. Depois de tomarmos um café da tarde nessa encantadora cidade, a excursão cruzou a fronteira italiana, mas aí já é história para outros posts.
Total na França: 4 dias.

Paris:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Versailles:

Este slideshow necessita de JavaScript.

Chamonix:

Este slideshow necessita de JavaScript.

O majestoso Palácio de Versailles

Localizado na cidade de Versailles, no subúrbio de Paris, o Palácio de Versailles é uma obra imponente e majestosa, sendo considerado um dos maiores castelos do mundo e foi, por mais de um século, copiado por outras monarquias para servir de residência real.

Começou a ser construído à mando do rei Luis XIII para servir como castelo de caça, porém apenas com o rei Luis XIV “O Rei Sol” e sua corte o castelo começou a ganhar tamanho e porte espetacular. Ao longo dos séculos, o Palácio foi passando por várias ampliações, uma vez que abrigou também os reis Luis XV e Luis XVI.

Com 2.153 janelas, 67 escadas, 352 chaminés, 700 quartos, 1.250 lareiras e 700 hectares de parque, o palácio é um dos pontos turísticos mais visitados de França, recebendo em média oito milhões de turistas por ano.

Tive o privilégio de visitar o Palácio de Versailles duas vezes. Na primeira vez, em pleno outono de 2008, tive a chance de ver as belezas dos jardins do Palácio, que são enormes e muitos. Eu estava de excursão e viajei desacompanhada, por isso muitas das fotos são selfies, mas dá pra se ter uma ideia do lugar. Já na segunda, que aconteceu em 2010 (no comecinho da primavera), os jardins estavam secos, sem vida, devido ao fim do verão (que lá é frio pra caramba!!!). Nessa viagem fui com as minhas irmãs, que aparecem em algumas das fotos da galeria abaixo.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Dicas de Paris – Parte 2

Continuando a série de dicas sobre Paris, seguem agora algumas sugestões de passeios e shows.

PASSEIOS

Rio Sena: Navegar pelo Sena é um charme. Existem passeios diurnos e noturnos de Bateaux-Mouches, que podem ser comprados no próprio pier de onde saem os barcos ou em agência de turismo. Durante o passeio, há informações em várias línguas explicando cada paisagem, monumento pelo qual o barco vai passando próximo. Você irá admirar o Palácio do Louvre, a Torre Eiffel, a Catedral de Notre Dame, entre outros. Continue Lendo “Dicas de Paris – Parte 2”